terça-feira, 9 de abril de 2013

Desperdício de energia


Com a redução da tarifa de energia elétrica, anunciada no final de janeiro pela presidente Dilma Rousseff, os brasileiros terão uma economia de 18% a 32% na conta de luz, dependendo da faixa de consumo e da concessionária de energia. Para as indústrias, calcula-se que a redução média será de 20%

A medida é bem-vinda, sem dúvida, mas ainda insuficiente para equiparar a tarifa brasileira - uma das mais caras do mundo - aos padrões internacionais. Para se tornar mais competitivas sem depender de novos cortes nos preços, as empresas precisam aumentar sua eficiência - produzir mais com menos energia.

Maior consumidor de energia elétrica no país - quase 40% do total -, o setor industrial tem ficado em segundo plano nos programas oficiais de eficiência energética. Nos últimos anos, os recursos públicos destinados à promoção do uso racional de energia concentraram-se na população de baixa renda - em iniciativas como regularização de ligações clandestinas, reforma das instalações elétricas e substituição de lâmpadas e geladeiras velhas. As indústrias passaram a fabricar bens de consumo que gastam menos energia, mas elas próprias costumam enxergar o investimento em eficiência energética como um custo, e não como algo capaz de gerar resultados. Ruim para as empresas, ruim para o país.

Confira o infográfico:
Clique na imagem para aumentar


Fonte: Planeta Sustentável
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário